4 de jul de 2016

Mansão Himuro



Há rumores de que a mansão foi palco de várias mortes bastante violentas de um família japonesa e vários associados, algumas décadas atrás.

A uma família chamada Himuro que praticava  de um ritual xintoísta e que era mais conhecido como ‘’Ritual de Estrangulamento’’ e era usado para fechar o Karma ruim da terra. O Karma era mais conhecido por ‘’Malice’’ (Malícia), que sairia em um determinado dia no final do ano no jardim da mansão.

No local morava uma donzela que ficava isolada do mundo e era tratado como um cordeiro para ser usado em um sacrifício.  E isso era para que a moça não tivesse contato com ninguém para que não estragassem o ritual. Antes do ritual, outra moça era escolhida para o ‘’ Ritual do Demônio Cego’’, que ao ser amarrada, seu rosto será forçado com uma máscara de madeira com espinhos no local dos olhos. A relação dos dois rituais não é conhecida, mas por outro lado necessária para o sucesso.

Depois de algum tempo até chegar o dia do ritual, a moça seria atada por cordas em seus pulsos, tornozelos e pescoço. As cordas eram presas em bois, que puxavam brutalmente o corpo da mora, arrancando seus membros.

 Não se sabe se a moça é morta antes de seus membros serem arrancados. As cordas seriam molhadas com o sangue da moça  e cruzadas no portal da Malice. O portal fica fechado por 75 anos até o ritual se repetir. Por várias décadas, essa tradição era feita pela família Himuro.

A honra da família acabou sendo arruinada. Depois do ultimo ritual, foi visto um homem do lado de fora da mansão vários dias antes do ritual. O homem se apaixonou por uma donzela e a terra acabou manchada por seu sangue e espirito.


O chefe acabou descobrindo e ficou furioso. Ele acabou matando toda sua família, trabalhadores e pessoas que estivessem no local.  Ele acabou caindo sua própria Katana. A família e os rituais estavam por fim mortos. Os moradores locais evitam falar sobre a historia, e ainda tem algumas pessoas que tentam descobrir sobre o que aconteceu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário